As 70 Semanas de Daniel Interpretação e Confirmação

As 70 semanas de Daniel é apenas parte da profecia das 2.300 tardes e manhãs (conhecida como a maior profecia da história terrestre).

E se pesquisarmos a Bíblia no livro de Daniel, vamos perceber que essa profecia refere-se a um tempo que se estenderia desde o decreto do rei  Artaxerxes no ano 457 a.C para a reconstrução de Jerusalém até o ano 34 da era Cristã quando Estevão foi apedrejado.


Daniel 9:24 a 27

No livro de Daniel 9;24 a 27 lemos o seguinte:

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniquidade, e para trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.

Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar a Jerusalém até o Messias, o Príncipe, haverá sete semanas e sessenta e duas semanas: as ruas e muros se reedificarão, mas em tempos angustiosos.

E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo, e o povo do príncipe, que ha de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será como uma inundação, e até ao fim haverá guerra, estão determinadas as assolações.


E ele firmará aliança com muitos por uma semana e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até a consumação, e o que está determinado será derramado sobre o assolador.

Através de um estudo aprofundado podemos concluir que esses textos vem falando da vinda do messias, pouco antes de se terminarem as 70 semanas que correspondem a 490 anos. Se pegarmos a data de 457 a.C quando foi promulgado o decreto por Artaxerxes (Estras 7:1-26) e somarmos mais 483 anos (69 semanas), vamos chegar ao ano 27 a.C, ano em que Cristo foi Batizado para começar seu ministério, (aparecimento do Ungido).

Para se completar as 70 semanas de Daniel faltaria 1 semana apenas, (7 anos). Então se continuarmos o cálculo vamos descobrir que Cristo exerceu o seu ministério por apenas 3,5 anos quando então foi crucificado comprovando a profecia conforme o verso 27 de Daniel 9, e os 3,5 anos restantes concluem essa primeira parte da profecia das 2.300 tardes e manhãs com o apedrejamento do primeiro mártir cristão Estevão no ano 34.

É o Início das 2300 tardes e Manhãs

A profecia das 2.300 tardes e manhãs começa então no mesmo ano, ou seja em 457 a.C com o decreto de Artaxerxes para reconstruir Jerusalém em tempos angustiosos, pois de fato, existiam muitos inimigos de Israel que não aceitavam essa ideia. Para se completar a profecia de 2.300 tardes e manhãs (2.300 anos) faltariam 1810 anos chegando então ao ano 1844 (1810 + 34 = 1844).

Para esse ano, os cristãos acreditavam que Cristo viria para purificar a terra, quando na verdade, ele nesse tempo passou do lugar santo no santuário celestial para o lugar santíssimo segundo o livro de Daniel 8:14. No ano de 1844 ocorre então aquele que ficou chamado de “O Grande Desapontamento” quando muitas pessoas aguardavam a volta de Cristo e ele não veio.

Princípio Dia Ano profético

Se buscarmos descobrir o quanto vale 1 dia na profecia, podemos nos apegar a Números 14:34 ou Ezequiel 4:5-7 para descobrir que 1 dia equivale a 1 ano. Por mais que existem críticos que não aceitam essa ideia, basta fazermos os cálculos e nos inteirarmos da história para concluirmos sobre a veracidade da interpretação da profecia das 70 semanas. A profecia se cumpriu no ano 34 com o apedrejamento de estevão e a rejeição do povo judeu como povo escolhido por Deus.

Reedificação e restauração de Jerusalém

Na profecia de Daniel 9:26 o tempo para a reedificação e restauração de Jerusalém seria de 49 anos (7 anos) e não apenas 7 dias semanais, pois é claro que mesmo com o grande número de pessoas que se reuniram para o trabalho, em apenas 7 dias, eles não dariam conta de fazer todo esse trabalho.

Por isso, a reconstrução começou em 457 a.C e se estendeu até o ano de 408 a.C e foram tempos difíceis, pois além dos inimigos reais que o povo de Israel tinha, ainda existia aqueles dentre o próprio povo que tentava desencorajar a reconstrução da cidade.

O ungido de Daniel 9:25

O Ungido ou Messias (Māxyāḥ na língua hebraica) que é relatado no livro de Daniel 9:25, é o mesmo Messias que o povo de Israel aguardava desde a promessa feita pelo próprio Deus sobre a vinda de um libertador, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Mesmo com essa promessa ter ficado  no esquecimento por muitos dos professos entre o povo de Israel, quando Cristo veio em forma humana para morrer na cruz como o Cordeiro que substituiria a todo o sacrifício pelo pecado, cumpriu-se a profecia dentro do espaço determinado entre as 70 semanas de Daniel.

A Aliança que ele Fará

A aliança que Cristo faria com seu povo ao vir e morrer pelos pecadores na cruz é a mesma aliança da qual Jeremias havia falado ao povo, pouco antes do exílio em Babilônia como vemos relatado em Jeremias 31:33. “Mas esta aliança é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior e a escreverei no seu coração, e eu serei o seu Deus eles serão o meu povo”.

Essa é a mesma aliança que Deus fez com seu povo no Monte Sinai quando lhes entregou as Tábuas da Leis, porém agora o povo de Deus não mais guardaria a Lei apenas na letra, mas colocaria a lei em prática guardando-a não por obrigação, mas por amor Àquele que veio dar a vida pelo pecador.

Além disso, na primeira aliança entre Deus e o povo no Antigo Testamento, foi feita com sangue de animais, enquanto que a nova aliança feita agora com Cristo, foi feita com o Seu próprio sangue derramado na cruz.


Leia também